Oficinas temáticas

Sábado, 19 de abril

chullage

:: Os sons da crise | Chullage e Inês Barbosa

Com este workshop pretende-se analisar criticamente a situação atual em Portugal e na Europa, através da linguagem e da estética teatral, promovendo o resgate da palavra, som e imagem como mecanismos de re-alfabetização sensorial e de contra- informação. Procurar-se-á promover a conscientização, o diálogo e a desconstrução de discursos dominantes.

Chullage é rapper, poeta, dizedor, musicor, ativista e sociologo, caboverdiano. Tem 3 álbuns editados (Rapresálias 2001, Rapensar 2004 e Rapressão 2012). Faz parte da associação Khapaz na Arrentela e da Plataforma Gueto e é membro do grupo de teatro forum KSK.

Inês Barbosa é membro fundador do NTO Braga. Desenvolve um projeto de investigação-ação participativa e emancipatória relacionada com o Teatro do Oprimido. Participou em intercâmbios, workshops e formações com vários curingas nacionais e internacionais.

.

jordi

:: A problematização simbólica como activação de opressões | Jordi Forcadas

Esta oficina pretende trabalhar sobre como tratar as opressões a partir da ordem simbólica (como refere Boal em “Estética do Oprimido”) e em que colectivos é mais favorável a sua aplicação. Numa Europa- actualmente- em que se vive uma situação que faz com que as pessoas se sintam mais vítimas que oprimidas, esta metodologia adquire relevância e atualidade. 

Jordi Forcadas Cofundador do Forn de teatre Pa’tothom, é o director de estudos do centro e formador. Responsável por inúmeros projetos, em prisões, escolas e centros juvenis. Trabalha com variados colectivos como mulheres vítimas de violência, jovens, imigrantes, gente da rua, toxicodependentes, pessoas com deficiência, etc. Fez formação no Institut de Teatre de Barcelona em direção de cena.

.

.

Domingo, 20 de abril

muriel

:: Papéis e estereótipos que constroem o masculino e ofeminino | Muriel Nassens e Pascal Guyot

A partir de situações vividas pelos/as participantes, tornar visível pelo teatro imagem o sistema de dominação.

Muriel Naessens é responsável da associação “Feminismo Enjeux” que, desenvolve diversos teatros-fórum que abordam a dominação masculina. Esta associação pratica o método do Teatro do Oprimido em França e trabalha sobre as opressões das mulheres há cerca de duas décadas. Há 12 anos que colabora com associações feministas.  

Pascal Guyot é o diretor artístico, formador e ator na companhia Entr’act, em França.  Trabalhou em Paris con Augusto Boal. Trabalhou no Centro de Teatro do Oprimido naquela cidade. Fundador da compahia Entr’act en Sant-Raphaël (Francia) em 1991, que tem no seu repertório vários teatros.fórum, faz formação, participou em festivais em vários pontos do mundo. 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s